8.23.2012

respostas a perguntas inexistentes (217)

Éden

Nunca verbalizámos o Amor. A primeira vez que abri a boca para lhe dizer que a Amava ela tocou com o dedo indicador da mão esquerda nos meu lábios, encostando um ao outro como se os quisesse coser com um único ponto.

- Chiu!

Depois beijou-me e fizemos Amor.
A partir daí não precisou mais de usar os dedos. Quando eu falava em nós, tentando dar existência a essa primeira pessoa do plural, ela mudava de expressão. Passou a bastar-lhe o olhar para me silenciar.
Uma vez, por fim, explodi. Não com ela, mas com a situação. Foi como se as palavras que eu engolia há meses me tivessem provocado uma congestão. Vomitei-as, dizendo-lhe que a Amava. Só que o Amor nunca pode ser um vómito.
Depois beijei-a e não fizemos Amor.
Naquele tempo o corpo dela era o meu Éden, uma extensão de vales e montanhas perfumadas onde tudo, menos falar de Amor, me era permitido. E foi assim que fui expulso.

16 comentários:

That Girl disse...

Possivelmente não te era permitido falar de amor porque não seria isso que ela sentia...

Bagaço Amarelo disse...

that girl, exacto. :)

That Girl disse...

Sabes, esses tipo de tretas faz-me confusão, e sou gaja ;)
Mas quando não se gosta/ama da mesma forma da pessoa com quem estamos o melhor é não estar mesmo, para não quebrar almas e corações ;)

Bagaço Amarelo disse...

that girl, as coisas, às vezes, não são é tão claras assim. :)

Vincent Silver disse...

A questão que eu ponho é a seguinte:

Se ela realmente não te amava, então o que faziam seria realmente amor?

Se estiver a ser indelicado podes dizer.

Mas de facto, é mais indelicado o que certas pessoas fazem.

Mas sim, como disseste, as coisas nem sempre são tão simples. Mas deviam.

Além disso, não concordei com a atitude dela.

kithara azul disse...

Essa gaja age como um gajo... :)

Olga disse...

Conheço pessoas assim, que passam a vida a amar quem não as ama. Não sei se é masoquismo, carência ou até estupidez mas acontece a muita gente.

That Girl disse...

Eu sei, ó se sei... bem que poderia ser um bocadinho mais fácil estas coisas dos amores e afins ;)

Bagaço Amarelo disse...

vicent silver, claro que sim, que fizemos amor. Ninguém obrigou nunca ninguém a nada. :)

kithara azul, olha que não. :)

olga, o Amor tende a ser estúpido. :)

that girl, podia, mas não era a mesma coisa. :)

Vincent Silver disse...

A questão é se era com sentimento de amor. Não te estava a perguntar se ela te violou

Bagaço Amarelo disse...

vicent silver, eu percebi... mas sinceramente acho essa uma discussão da carochinha. É óptimo ter sexo mesmo que não se esteja totalmente apaixonado, e sim, eu chamo-lhe "fazer Amor", mas cada um pode chamar-lhe o que quiser. :)

Vincent Silver disse...

Eu sou alguém que vê o sexo e o amor juntos. Claro que nem toda a gente pensa assim. Sexo e fazer amor, é apenas uma questão de semântica, não quis criticar como disseste, apenas acho que como disse, os dois devem vir juntos ou não devem existir :) Mas estou ciente de que não é assim tão linear muitas vezes. Acho que sou um idealista.

Fatyly disse...

Andavas em "jardins proibidos" que o melhor é mesmo expulsar-nos a nós próprios ou melhor dizendo...saindo!

Bagaço Amarelo disse...

vicent silver, eu não alinho é em determinismos. o Amor e o sexo, como a vida, são probabilistas, como a vida. Ou só te masturbas se estiveres apaixonado por ti mesmo? :)

fatyly, era mais ou menos isso, sim. :)

Vincent Silver disse...

Eu apenas acho que há muitas filosofias actuais extremamente permissivas em relação a esse subject.

Bagaço Amarelo disse...

vicent silver, eu por acaso acho que não. o sexo é deve ser o que nós quisermos, desde que não interfira com o bem estar de ninguém. :)