6.30.2010

respostas a perguntas inexistentes (93)

a Outra

Gosto de me apaixonar de barato, sabem? Gosto de me apaixonar pela mulher que atravessa a passadeira mesmo à minha frente, pela mulher do outro lado do balcão que me tira o café, pela mulher que põe a roupa a secar numa janela onde nunca estive ou pela mulher que se senta à minha frente numa viagem de comboio. Esta é sempre uma paixão barata porque não vale quase nada. Vale o momento em si, porque qualquer momento apaixonado é melhor do que um momento sem paixão. Mais nada. É para isso que servem as paixões baratas.
O problema das paixões baratas é que para acontecerem precisam duma paixão maior, a paixão pela vida. O problema da paixão pela vida é que precisa duma paixão ainda maior, talvez a maior de todas, a paixão por ela. Ela não é aquela que atravessa a passadeira mesmo à nossa frente, nem aquela do outro lado do balcão que nos tira o café, nem aquela que põe a roupa a secar numa janela onde nunca estivemos, nem aquela que se senta à nossa frente numa viagem de comboio. É a Outra.
Chamar a Outra à paixão maior parece pobre, pelo menos quando comparada com alguns exercícios literários ou cinematográficos sobre o amor. Não é. A Outra é exactamente isso. Existem as mulheres que atravessam a passadeira e a Outra, as que tiram cafés e a Outra, as que põem a roupa a secar e a Outra, as que viajam à nossa frente no comboio e a Outra. Enfim, existe o mundo inteiro e a Outra. A Outra.

21 comentários:

Malena disse...

Paixões efémeras são bem mais fáceis de gerir... :)

marie disse...

Bela teoria. Realmente tem lógica,sim. :)

Anónimo disse...

Quem nos enche a alma até na ausência. :)

Beijo x
P.S.

Olga disse...

A outra, a tal, a mulher com M...não interessa que nome tem. A única coisa que interessa é que por algum motivo ela é considerada por alguém a mais especial de todas.

bagaco amarelo disse...

malena, verdade. sem espinhas. :)

marie, tem a lógica de quatro décadas de vida, no meu caso. :)

olga, exactamente. :)

anónima, :)

um cigarro. disse...

eu acho que, por muito bonito que seja o significado e ser A Outra também tenha o seu quê de super divertido, excitante e apaixonante, o "ser a outra", seja no que for, a mim soa-me mal. principalmente quando se trata de paixões. outras paixões que, no fundo são mais corriqueiras do que essenciais, são mais importantes que A paixão é uma coisa que, neste momento, me mete confusão.

mas bem haja as Outras que adoram e mal haja os que as põem primeiro que As paixões :D hehe

bagaco amarelo disse...

um cigarro, :)

Celeste disse...

A Outra é aquela que alimenta o resto.

lânternamágica disse...

podes crer..quantas vezes amamos essas mulheres ...a do comboio, a da janela, a do café, a da passadeira...

bagaco amarelo disse...

celeste, lol... era precisamente essa ideia que estava a tentar desmontar. pelos vistos não consegui. :)

lânternamágica, a vida é difícil. :)

Fatyly disse...

és um apaixonado pela vida até nas pequenas coisas.

Gostei!

A Voar disse...

adoro este conceito de ser "A Outra", assim é perfeito :)

T. disse...

Eu por outro lado, tenho o hábito de nomear a Outra por a Tal.:)

T. disse...

Ups...depois de comentar é que li os outros comentários, e afinal estava a seguir a mesma lógica da celeste. Texto enganador :)

bagaco amarelo disse...

fatyly, temos que ser, não temos? :)

A Voar, este é O Conceito. :)

T, lol. :)

Girl in Motion disse...

gostei, gostei mesmo deste texto ^^

bagaco amarelo disse...

girl in motion, obrigado. :)

memyselfandi disse...

Fantástico!!! ;)

bagaco amarelo disse...

memyselfandi, obrigado. :)

um cigarro. disse...

mas eu sou igualmente apaixonada por essas pessoas e coisas imples, mas aquilo que quis dizer é que, por muito que eu sinta as coisas assim, a palavra "a outra" nunca vai ter (principalmente quando é para nós), o mesmo significado bonito que damos quando são paixões que nós temos.
é uma questão de português. ou outra qualquer =)

bagaco amarelo disse...

um cigarro. percebo... para mim "outra" tem este significado. :)