6.24.2010

respostas a perguntas inexistentes (92)

a primeira vez

Gostamos de povoar a memória de quem amamos. Não o admitimos mas normalmente é essa a primeira assumpção de que somos ciumentos ou pelo menos um bocadinho possessivos. A maneira mais fácil de povoar essa memória é ser o primeiro a fazer alguma coisa para ela. Todos nos lembramos da primeira pessoa por quem nos apaixonámos na escola, todos temos dificuldade em recordar a segunda. A primeira vez é uma bomba de tinta que preenche quase todas as páginas em branco por escrever na memória de alguém. É essa a importância da primeira vez. Só essa, pensamos nós.
Quando um homem e uma mulher se apaixonam aos quarenta anos e dão as mãos na rua, sabem que ambos já o fizeram antes com mais alguém. O mesmo acontece no sexo, num simples beijo apaixonado, na divisão duma garrafa de vinho ou num piquenique na praia. Aos quarenta anos é difícil haver uma primeira vez. Pelo menos uma primeira vez dessas, capaz de carimbar eternamente a memória do outro. E a nossa, claro.
As viagens, por exemplo, são uma forma fácil de chegar à primeira vez em paixões de meia idade. Basta ir a um sítio onde nunca se foi para criar uma primeira vez com quem se ama. É uma primeira vez. Ponto final, missão cumprida. O problema é que isso não chega. Não sabemos bem porquê mas isso não chega.
Acho que é por causa disso que é tão difícil apaixonarmo-nos a sério nesta idade. Somos mais exigentes com a primeira vez. Ela tem que estar sempre presente, não apenas numa viagem mas sempre. Seja num café ou numa mão dada. Impõe-se então descobrir que a primeira vez não depende afinal do nosso passado, depende só do nosso presente e do nosso futuro. É tipo o verso do Sérgio Godinho: "hoje é o primeiro dia do resto da tua vida". A primeira vez tem que ser a primeira de muitas. Com quem gostamos e daqui para a frente.

26 comentários:

sophie disse...

É verdade, a 1ª vez fica-nos sempre marcada...
A 1ª vez que nos apaixonamos a valer...
A 1ª vez de tudo, acho...
Talvez por ser uma coisa nova, desconhecida. É por isso que a recordamos sempre... Porque tem um sabor especial...

Estas perguntas inexistentes dão-me que pensar... :)
Trazem-me à memória "sabores" esquecidos.

Obrigada...

Blue Eyes disse...

"A grandeza do amor está na impossibilidade de sua catalogação, cristalização, definição, congelamento em fórmulas, formas e fôrmas." (Paulo A. M. Barros) ;)

Cromossoma X disse...

Que delicia este texto :)

v.s disse...

Eu tenho essa mania da exclusividade, de querer todas as primeiras vezes só para mim, de partilhar tudo pela primeira vez com quem amo. claro que nem sempre é possível, mas até à data estou muito feliz pelas primeiras vezes que criámos, e havemos de criar ainda mais, certamente :)

nada desta vida disse...

http://www.baixa.la/arquivo/6410717

:)

Anónimo disse...

Muito bonito o teu texto.
Mas se realmente é assim na maioria dos casos,tambem é verdade que outros os há.
Quantas vezes existem amores que são os de uma vida, que são primeiros, únicos, últimos, eternos.
É o Amor Maior.


Mas concordo contigo, a primeira vez não depende do nosso passado, e hoje tem que ser sempre o primeiro dia do resto de uma vida.

Beijo x
P.S.

bagaco amarelo disse...

sophie, obrigado eu, por estares aí. :)

blue eyes, pois é... mas não custa tentar. :)

cromossoma x, obrigado. :)

nada desta vida, obrigado. :)

v.s., acho isso normal... aliás, acho inevitável. :)

anónima, exactamente. nessa caso é uma imensa primeira vez. :)

Anónimo disse...

Podemos aos quarenta anos ter a primeira vez que amamos a sério ... :)

Acho que isso vale por muitas primeiras vezes ;)

Malena disse...

É sempre a primeira vez com aquela pessoa! Eu, por exemplo, recordo intensamente o primeiro beijo com o homem com quem vivo do o meu primeiro beijo! :)

bagaco amarelo disse...

anónimo, isso é verdade. :)

malena, :)

RPM disse...

Eu cá encontrei o homem da minha vida aos 36. E, desde então, vivo fascinada com esta primeira vez.

bagaco amarelo disse...

rpm, :)

Maryana disse...

Pois, a mim o que mais me marca são as últimas vezes. A última vez que fiz este caminho, o último beijo, a última viagem, o último café, a última bola de berlim. Por isso o meu lema é mais este: tu mexe-te, que hoje não é o último dia do resto da tua vida...:)

bagaco amarelo disse...

maryana, a última vez marca-nos sim... tanto que quando nos marca mesmo não queremos que tenha sido a última. :)

Anónimo disse...

Para mim, não foram as pessoas pelas quais me apaixonei que fizeram a diferença e sim aquelas para quem eu NÃO dispensei um olhar mais atento.

Enquanto eu queria alguém que não me queria, outro me queria. Talvez, se eu tivesse dado mais atenção e alguma chance àqueles que me quiseram de verdade, teria evitado muito sofrimento em vão.

Ainda bem que a realidade não é como nós queremos.

Ainda bem que o tempo passa e nós amadurecemos (eu pelo menos amadureci).

Ainda bem que a primeira vez dá lugar a outras tantas vezes tão ou mais importantes.

Porque a primeira vez é apenas mais uma das tantas vezes que podemos vivenciar uma aproximação. E as seguintes são sempre melhores.

Um beijo.

Ana disse...

Fizeste-me lembrar isto:

"As pessoas dão demasiada importância à primeira vez.
E a última vez?
Ninguém pergunta pela última vez.
A última.
A última de todas.
A última das últimas.
A última depois da qual não há mais nenhuma."

Pedro Mexia

A última vez também nos faz povoar os outros.

Autora de Sonhos disse...

É verdade. Tudo o que está escrito. Cada letra, cada frase.
É isso...nunca se esquece.
Vou passando por cá...gostei!

bagaco amarelo disse...

anónimo, obrigado. :)

ana, pois faz. :)

autora de sonhos, obrigado. :)

Fatyly disse...

Que dizer? que li e reli e é mais uma pérola tua! Fantástico!

Myann disse...

Acho que estava a precisar de ler isto :) obrigada *

Corset disse...

Daí só fazer coisas especiais a quem realmente merece ;)

bagaco amarelo disse...

fatylt, obrigado. :)

myann, obrigado eu. :)

corset, :)

Fenix disse...

Lindo!...
Adorei!

bagaco amarelo disse...

fenix, obrigado. :)

RPM disse...

"Do primeiro amor gosta-se mais, dos outros gosta-se melhor"


Antoine de Saint-Exupéry

bagaco amarelo disse...

rpm, eu gosto mais e melhor deste que tenho agora. :)