6.17.2016

respostas a perguntas inexistentes (373)



café

Coloco duas colheres de café numa cafeteira de vidro antiga, fervo um pouco de água e misturo. Tenho que esperar cerca de um minuto para que o filtro humedeça e possa descer pelo vidro suavemente, caso contrário fará um movimento abrupto e desperdiçarei café.
São cerca de dois a três minutos para preparar a bebida e, sempre que o faço, lembro-me da minha máquina de pastilhas em Portugal. Não com saudade, mas porque essa é mais uma memória que me ajuda a entender-me a mim mesmo. É o tempo, pá. Do que me lembro é de estar impaciente durante os vinte segundos que demorava a tirar um café nessa máquina e então reparo como estou a ganhá-lo. Ao tempo, repito.
Sento-me a ver a mistura a fazer-se e contemplo-a ao mesmo ritmo da vida. É sempre assim. Ainda ontem me sentei num bar no centro da cidade e pedi uma Kamenitza de meio litro. Não sei quanto tempo estive a ver o desfile de transeuntes lá fora, através duma janela empoeirada, como se o tempo estivesse a contar apenas para eles. Depois duas mulheres pararam a conversar e uma delas olhou para mim duas vezes. Trocámos um sorriso e o barulho do antigo relógio de cuco do bar tornou a fazer-se ouvir.
Pensamos que a solidão se dá quando estamos sós, mas não é verdade. A solidão dá-se quando não sabemos estar connosco, mesmo que estejamos rodeados de pessoas. É uma cobra, essa gaja. Até no Amor mais intenso pode aparecer a deslizar, se não aprendemos a fazer um café de três minutos aproveitando a vida.

9 comentários:

Dúvidas e Certezas disse...

Tão verdade o que disseste sobre a solidão!! Se estivermos bem connosco não estaremos sozinhos ou, pelo menos, tão sozinhos. Essa sensação de tranquilidade e de contemplação é fundamental!

Desabafista Profissional e Cusca de Blogues disse...

Inspirador

Bagaço Amarelo disse...

Dúvidas e Certezas, algumas verdades somos nós que as fazemos. obrigado. :)

Desabafista Profissional e Cusca de Blogues, obrigado. :)

São Rosas disse...

O tempo que eu ganho por não beber café! :O)

Vou publicar isto no nosso blog... e vai já esta semana, porque na forja estão muitos outros textos teus ;O)

C disse...

Obrigada.
Obrigada por nos levares contigo.
Obrigada por nos mostrares grandes coisas em pequenas coisas e acertares sempre na muche.
Enfim...OBRIGADA!

Cláudia Leister disse...

Falou tudo sobre a solidão! :)

Maria Eu disse...

Fico sempre emocionada a ler-te, principalmente agora, que te sei longe. São tão sábios e tão bem escritos, estes teus posts! Não que antes o não fossem. Só me comovo mais...

Abraço desta amiga virtual :)

pequeno caso serio disse...

Maravilhoso ! E sim, também me irrito com a máquina do café mas graças a ti isso vai mudar a partir de hoje ! ;)

Bagaço Amarelo disse...

são rosas, obrigado. :)

c, obrigado. :)

Claudia leister, :)

maria eu, abraço. obrigado. :)

pequeno caso serio, lol. obrigado. :)