10.23.2014

queixinhas

Quando eu era pequeno só se apresentava queixa a uma autoridade. Se um colega me batesse na escola primária, a autoridade era a professora; se o meu irmão me roubasse um brinquedo qualquer, a autoridade era a minha mãe; se alguém me assaltasse na rua, a autoridade era a polícia. O problema era quando queria fazer queixa de um Amor mal resolvido, cuja autoridade no planeta Terra ainda está por encontrar.
Nós, os queixinhas do Amor, precisamos sempre duma autoridade. Acho que foi por isso que fiz este blogue. À falta de autoridade fui-me queixando ao mundo, até que o mundo lá me prestou alguma atenção e me resolveu o problema.
Há bastante tempo que eu não me queixo de Amores, sem qualquer garantia que um dia destes não o volte a fazer. O Amor é assim, um dia acordamos e ele já não está ao nosso lado. Nesse dia tornarei a bater-vos à porta, pedir licença e informar que venho apresentar queixa: "Meus amigos! O meu Amor fugiu...".
As queixinhas sobre o Amor são as únicas que não devem ser engolidas. Em primeiro lugar porque são comuns a todos nós, em segundo porque nunca são digeridas e acabam por causar vómito, em terceiro porque são as únicas que não exigem vingança nem execução alheia. Se eu sempre quis que a professora batesse no meu colega, a minha mãe no meu irmão ou a polícia no ladrão, do mundo só quero que deixe o Amor andar por aí em paz.
Do Amor, queixem-se sempre ao mundo. Ninguém vos leva a mal.

8 comentários:

EU SOU EU disse...

É isto mesmo...e quem nunca se queixou ao mundo do amor o ter magoado...é porque na verdade.. NUNCA AMOU...!!

Cláupi disse...

Podemos então concluir que o mundo é um gajo porreiro :)

Anita disse...

Queixinhas de Amor ao mundo parecem-me mais lamentações. Contra mim falo. Daí resolver queixar-me directamente ao infractor. É um bocado ridículo, de facto, mas sabe-me quase tão bem como se estivesse a puxar as orelhas ao miúdo que nos bateu na escola enquanto o levava ao gabinete da directora :)

Bagaço Amarelo disse...

eu sou eu, abraço. :)

cláupi, vai sendo, se desligarmos a CNN. :)

anita, essa do infractor assusta-me, para ser sincero. :)

Anita disse...

Bagaço, troco infractor por "quem de direito" ou interveniente, se achares menos assustador :)

Bagaço Amarelo disse...

anita, fico um pouco mais descansado, vá lá. :)

mc disse...

Tenho uma visão bastante distinta. Não gosto de queixinhas. Do miúdo da escola tratava eu pouca vezes pois sempre fui mais para o tranquila. Quanto ao meu irmão safava-me como podia: a minha mãe era adepta da não interferência entre os filhos. E as queixinhas de amor parecem-se um modo de sofrimento assim para o descomprometido e arrastado....

Bagaço Amarelo disse...

mc, it depends. :)