10.19.2014

pensamentos catatónicos (317)

Estou a pôr a roupa a secar. Do outro lado da rua uma mulher fuma um cigarro e olha para um gato preto que costuma andar por ali.
Tenho um método para pendurar a roupa um bocado estranho. Começo sempre pelas peças maiores. Sei que o trabalho é o mesmo, mas o monte de roupa que falta pendurar parece mais pequeno quando começo pelas peças maiores. Se pendurar duas toalhas de banho, por exemplo, o tamanho do monte diminui num instante. Além disso é uma questão estética, gosto que as peças maiores fiquem atrás e as mais pequenas à frente. As meias, por exemplo, ficam sempre no primeiro arame do meu estendal a contar da rua.
Cada peça leva sempre duas molas, seja grande ou pequena, com excepção precisamente das meias, que levam uma mola por par. É que as organizo por pares logo quando as ponho a secar. Assim, quando as apanho, dobro-as no mesmo instante e poupo o trabalho de as andar a escolher entre o monte da roupa seca mais tarde. É também por isso que as penduro em último lugar. É mais fácil separá-las quando já não há mais roupa nenhuma misturada.
O gato está a aproveitar o que parecem ser os primeiros raios de sol nesta semana. A mulher também. Sempre que olho para ela, ela está a olhar para o gato. Suponho que talvez olhe para mim de vez em quando, quando estou de costas a pendurar a roupa. Eu não fumo, mas se fumasse também o estaria provavelmente a fazer neste momento.
Hoje sei que tenho duas coisas estranhas na vida. Pelo menos duas, digo. Uma é a forma como penso quando penduro a roupa, outra é a minha relação com a minha vizinha da frente. Ainda há bocado me cruzei com ela no café e fingi que não a conhecia, o que ela também fez comigo. Agora estamos aqui os dois a fingir que o outro não existe.


14 comentários:

Maria Eu disse...

Pior seria se forçassem um cumprimento.

Gostei do método de pendurares a roupa! ;)

Beijinhos Marianos, Bagacinho! :)

Bagaço Amarelo disse...

maria eu, não deixas de ter razão. beijinho. :)

Miriam Ferreira disse...

Eu quando penduro roupa, cada peça tem de ter molas da mesma cor! Inconscientemente também penduro as peças grande primeiro. Manias...

A vizinha, é uma relação engraçada :)

Liu Paim disse...

hahaha. Eu detesto pendurar as pequenas. Tenho dois filhos, imagine a quantidade de meinhas e calcinhas e cuequinhas para pendurar. Irritante. Mas o esquema das meias faço igual, já uno os pares na hora da secagem.

Isabel Ferreira disse...

Pois que estendes a roupa tal e qual como eu, a única diferença é que não coloco uma mola por par de meias, as sim uma mola por cada meia... vês que não é assim tão estranho??? :)
Quanto aos vizinhos.... também finjo que não os conheço e eles fazem o mesmo comigo...

Liu Paim disse...

pensei agora: e se sua vizinha for leitora do seu blogue?

Inês Silva disse...

também penduro a roupa assim, parece que despacho mais depressa x)

Anónimo disse...

Eu cá quando tiro as meias ponho uma dentro da outra. Assim estão sempre aos pares quando as tiro da máquina.

Bagaço Amarelo disse...

miriam ferreira, às vezes também ligo às cores. :)

liu paim, , pelos vistos o meu método é universal. a vizinha ser leitora não faz mal. pode continuar a ser. :)

isabel ferreira, a questão dos vizinhos é estranha. :)

inês, pois parece. e o que parece também é importante. :)

zé, não me vou esquecer. :)

redonda disse...

Um dia destes podia ser giro se começassem a conversar :)

Bagaço Amarelo disse...

redonda, hum... também é giro se não começarmos... :)

Anónimo disse...

Quando ponho a roupa a secar, ponho as peças grandes em primeiro e à frente; não quero deixar à vista de todos as meias e as cuecas. Enfim, manias.
EJSantos

redonda disse...

:)

Bagaço Amarelo disse...

ej santos, isso é porque não tens cuecas dos angry birds como eu. :)

redonda, :)