10.10.2014

os meus sapatos estão rotos

Às vezes dou por mim a olhar fixamente para os meus sapatos. Sento-me no sofá e, como não vejo televisão a não ser que tenha um filme específico em mente, os sapatos são objecto seguinte. Foi o que me aconteceu agora mesmo, enquanto tentava respirar um pouco pelo excesso de tarefas e coisas para fazer dos últimos dias. Os meus sapatos estão rotos, pensei.
Estão mesmo, e ainda não tinha reparado, apesar de os calçar e descalçar quase todos os dias (às vezes uso outros). Quando olho para eles dentro do meu próprio quotidiano, os meus olhos não são capazes de analisar nada. Sabem que eles estão ali para serem calçados e me protegerem os pés enquanto caminho e são incapazes de alcançar seja o que for para além disso. Só em momentos como o de hoje, em que tento parar e quebrar a rotina do mundo, é que consigo perceber que os meus sapatos estão rotos.
Por qualquer motivo, sempre achei que é uma capacidade mais feminina do que masculina, esta de perceber que os sapatos estão rotos. Acho que é por isso que os divórcios e as separações partem quase sempre delas e não deles. Não são um fim em si mesmo. São uma tentativa de calçar outra coisa qualquer.

4 comentários:

duasfridas disse...

Este texto me fez lembrar esse que escrevi logo após me separar. Se puder, diga-me se a minha associação faz sentido: https://duasfridas.wordpress.com/2008/12/09/nao-quero-mais-nada-que-me-machuque/

Um abraço,
Helê

Cláupi disse...

Tenho a ideia que é porque a maioria dos homens se acomodam mais e fogem de chatices como o diabo da cruz e então vão se deixando estar, mesmo que aquela vida já não lhes sirva e esteja rota como os seus sapatos e então vão-se distraindo com outras coisas que os ajudam a aguentar e lá vão ficando.

redonda disse...

Eu continuo a pensar que as elas são tão diferentes entre si e os eles tão diferentes entre si, que alguns eles poderão ser parecidos com algumas elas e assim serem alguns eles que vão reparar nos sapatos rotos e não algumas elas (eu por exemplo não sou de reparar e até tive um episódio há muitos anos de sapatos trocados).
Entretanto espero que já tenha dado para levar sapatos ao sapateiro e resolver o buraco.
um beijinho
Gábi

Bagaço Amarelo disse...

duasfridas, faz... todo o sentido. :)

cláupi, boa. :)

redonda, a probabilística concorda contigo. :)