9.12.2013

pensamentos catatónicos (299)

Hoje de manhã estava um casal de idosos a tomar o pequeno-almoço no café. Entre o ruído mais ou caótico das chávenas, dos talheres e da máquina de café expresso, era como se uma bolha de silêncio os envolvesse. Olhei-os de lado e fiquei com a sensação que não diziam nada um ao outro porque as palavras já se tinham esgotado há muito. As palavras esgotam-se com a vida? - Perguntei-me. Restava-lhes um incógnito olhar para duas chávenas de café vazias e uma presença ausente.
Do outro lado, na mesa à minha direita, um homem começou a levantar a voz à companheira. Não num tom violento, mas numa tentativa óbvia de a anular. Percebi que a conversa vinha já da noite anterior e se baseava toda na futilidade dela como companheira de vida dele. O Amor deve ser útil? - Perguntei-me. Restava-lhes um ar desconsolado para duas chávenas de café nervosas e tristes.

- Nunca dizes nada de jeito! - repetia ele.

Ela nada dizia.
O Amor é antidemocrático, eu sei. Pior ainda, é um golpe de Estado e uma usurpação do nosso trono. O poder do povo termina no momento exacto em que se apaixona. Compreendo bem a coisa. A sério que sim. O que não aceito é esta mania de viver em casamentos cansados e violentos. As revoluções nunca fizeram mal a ninguém. Muito menos ao Amor.
O casal de idosos levantou-se e saiu. Fiquei a vê-los pelo canto do olho. Deram as mãos e desapareceram lentamente na primeira curva, levando com eles o seu silêncio único. Ao meu lado direito a discussão agravou-se. Ela decidiu responder. Talvez as palavras não se esgotem sempre, mas era bom que às vezes o fizessem. Pelo menos foi o que pensei.

14 comentários:

Morango Azul disse...

Nem sempre o silêncio é mau.Pode simplesmente significar paz e.satisfação. Não temos que estar sempre a falar, até porque quem fala muito normalmente ou diz asneira ou fala da vida dos outros. Eu aprecio o silêncio.

csa disse...

Um tanto triste :(

nos"entas!!!! ( e feliz) disse...

Ainda ontem, eu, moça desacreditada nos amores ALD....e um casal mais idoso numa paragem de autocarro ...ela agarrou-o pelos ombros e carinhosamente beijou-o....
Achei maravilhosamente...quase quase inacreditável de BOM!!
Quanto ao resto....dos acabados e gastos, dos que teimam em denegrir qualquer auto-estima ainda restante...também não entendo...é o malvado COMODISMO...
Aqui aplica-se bem a máxima... mais vale SÒ....
beijinhos

Bagaço Amarelo disse...

Morango Azul, concordo, :)

csa, catatónico. :)

nos"entas!!!! ( e feliz), mais vale só, sim, mas estar sozinho não tem que significar estar só. :)

AFRODITE disse...

Ao ler uma das respostas que deste lembrei-me do refrão DESTA música que diz "doesn't mean I'm lonely when I'm alone».

Mas voltando ao teu texto, de facto o silêncio pode não significar que já não há mais nada para dizer... mas antes ser sinal de um entendimento pleno.
(gostei do pormenor deles terem dado as mãos à saída)

Infelizmente é raro encontrar casais com essa harmonia... a prova tiveste-a tu na mesa ao lado.
Mas apesar de tudo o amor é lindo... pelo menos enquanto durar.

Não quero contribuir para a melancolia do momento... mas deixo-te com um POEMA de Eugénio de Andrade dito pela inconfundível voz de Luís Gaspar.


Beijinhos sem qualquer melancolia
(^^)

$hort disse...

O Amor deve ser útil?

Esta bateu fundo.

Bagaço Amarelo disse...

afrodite, obrigado. :)

$hort, :)

Pérola disse...

O amor é sentimento por demais debatido, sentido, escrito, cantado, mas lá no fundo é um incompreendido.

Por outro lado os casamentos não têm como causa o amor...sempre.
Só às vezes.

Haver casamentos repletos de ausência de amor pode ser uma situação assumida e querida.

Há de tudo.

beijos

António Jesus Batalha disse...

Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
Ficarei radiante,mas se desejar seguir, saiba que sempre retribuo seguido
também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
Sou António Batalha.

Anónimo disse...

Por vezes para a vida decorrer razoavelmente, temos que fazer umas gincanas emocionais.Quando o futuru dos filhos está em causa.Não há silencios que nos derrubem.O macho nem é o mais importante.É uma amor menor.....nem é do nosso sangue...

Malena disse...

Os silêncios cúmplices são os mais difíceis de atingir! :)

Beijocas, Bagacinho! :)

Suzi (vulgo, Emilie) disse...

não gosto de discutir, me canso, fico chateada. mas,algumas vezes, são necessárias em relacionamentos.

Chic Diary disse...

ás vezes o silêncio nao é necessariamente desconforto, não é necessariamente a ausência de palavras. É talvez a ausência da necessidade de se dizer uma palavra que seja, porque os olhares já se conhecem, e já se conhecem tão bem, o toque já é tão intimo que resta o silêncio que diz tudo sem serem necessárias as palavras, essas mesmas que são tantas vezes deitadas ao lixo.

Bagaço Amarelo disse...

Pérola, obrigado. :)

António Jesus Batalha, obrigado. :)

Anónimo, se isso quer dizer que em nome dos filhos aguentamos uma vida que não queremos, discordo. :)

Malena, estatisticamente concordo. :)

Suzi (vulgo, Emilie), se isso for verdade, estou tramado. :)

Chic Diary, obrigado. :)