6.25.2008

we can do it



É um ícone do feminismo americano durante a Segunda Guerra Mundial, este poster chamado Rose the Riveter. Foi usado para elevar a moral das mulheres que, pela primeira vez nas suas vidas, se tornavam parte integrante da força de produção americana, principalmente na indústria militar, para colmatar a falta de mão de obra provocada pela ida de soldados para os teatros de guerra na Europa e no Pacífico.
A mulher representada chamava-se Rose Will Monroe e foi uma das muitas que participou nesse esforço de guerra, trabalhando na construção dos bombardeiros B-29 e B-24 da Força Aérea Americana. Riveter vem de rivet (rebite), que eram os parafusos que prendiam as chapas do revestimento desses aviões, fundamentais na vitória dos Aliados. Era o que a Rose realmente fazia, de farda e posse musculada mas mantendo sempre, através do lenço na cabeça, um toque feminino.
Curioso é que foram precisamente aviões B-29 a lançar as bombas nucleares sobre Hiroshima e Nagasaki. Para os cerca de duzentos mil mortos mortos civis imediatos nesses bombardeamentos, mais os que morreram e sofreram pela consequente exposição à radiação, a Rose também contribuiu. Orgulhosamente, como se pode ver no cartaz. We can do it!

15 comentários:

Anónimo disse...

Mas que blog tão bem-humorado e realista! Há mto tempo que não encontrava um blog que me fizesse parar para ler tdo de uma ponta à outra!
Estou em http://omeuvoonocturno.blogspot.com
caso queiras aparecer por lá. Eu pelo menos sei, que hei-de voltar.
Abraços,
Clara

bagaco amarelo disse...

clara, passo lá e já faço um link... abraços. :) obrigado

Paula disse...

será que lea teria a noção do que se passaria a seguir a este cartaz?..será que ela soube as consequências nefastas de todos esses contributos ao seu maravilhoso país?
e se soube será que chorou por esses milhões afectados?... será que se arrependeu?

bagaco amarelo disse...

paula, não creio... :)

redonda disse...

Mas de certeza que a Rose não fez esses! Esses devem ter sido feitos pelos operários homens que estavam muito chateados por não aparecerem no cartaz!

bagaco amarelo disse...

redonda, lol... gosto dessas certezas históricas. :)

Nelson Peralta disse...

Eu gosto é das ilustrações feministas da Barbara Kruger... isso sim :p

Anónimo disse...

Ora... chamemos lhe danos colaterais.

(uma vergonha, eu sei)

bagaco amarelo disse...

nelson peralta, fico feliz por saber que aquilo são mesmo ilustrações. bem que eu desconfiava... :)

o caos da teoria, os danos colaterais foram a rendição do Japão... os danos directo foram mais de 200 000 mortos directos. :)

Mariana disse...

a figura não faz apologia à guerra, muito menos defende algum lado. Ela servia de inspiração às mulheres, como tu mesmo disses, um símbolo do feminismo em uma época difícil.
Um símbolo de um MOVIMENTO, não de um favorecimento à produção de armas que contribuiram para a destruição.
Poderia ser uma japonesa, uma italiana, enfim... Qualquer mulher que estivesse passando por um período em que precisasse se afirmar e confiar em si.

bagaco amarelo disse...

mariana, percebo... mas deixa-me dizer que esse feminismo foi pela pia abaixo logo a seguir à guerra... as mulheres passaram a ser meros elementos decorativos na família americana... portanto há mesmo uma relação com a guerra... :)

jéssica disse...

E o que aconteceu com essas mulheres depois da guerra?
esquecidas , tiveram que esperar um presidente de 'igual' luta para que pudessem então levar a medalha que muitos outros soldados receberam.. "por participar".
eu me refiro ao wasp.

sou a favor do we can di it mas não pelo significado de "morte guerra" e etc (o que seria muita hipocrisia de nossa parte falar que essas mulheres são responsaveis por isso)...muitas até sem escolha por nao ter mais renda, culpa tambem da guerra...
enfim o "pós" we can do it que não foi lá dos mais justos.

Anónimo disse...

Rapaz, essa apologia defende ao movimento Feminista e nem se quer direcionou ou defendeu qualquer tipo que seja de guerra ou violência. Consequências que vieram após foi devido a Segunda Guerra e os seus conflitos. Mulheres só querem conquistar o seu espaço perante a sociedade e mostrar que podemos sim fazer trabalhos que estão padronizados ao público masculino. Esse movimento não foi 'pia a baixo' está ai até hoje e mais forte do que nunca! Para as mulheres e o movimento feminista deixo a minha exclamação: WE CAN DO IT!!

Carla disse...

Não acho certo culpar as mulheres pela morte dessas pessoas. Era uma guerra. E além disso, elas estavam TRABALHANDO, cumprindo ordens, trabalhando em algo que elas nunca foram permitidas por não terem um pênis entre as pernas. Não vamos envolver gêneros nessa questão (mortes pela bomba, que estava no tal avião). E aliás, se formos culpar as mulheres por isso, temos que culpar os fabricantes de facas, por que pessoas usam isso para ferir outras. Vamos culpar os fabricantes de lâminas pelos cortes nos pulsos. Os fabricantes de cordas pelos suicídios. Por favor, não tentem mudar o significado de um movimento pela piada... WE CAN DO IT!

Bagaço Amarelo disse...

carla, eu não pus a questão de género na da culpa. de resto, até concordo... :)